Arquivo

Archive for 10/02/2011

Como aprender inglês?

 

Como todos já devem saber, a base do aprendizado é a prática constante. Tudo aquilo que aprendemos ou vivenciamos, se não utilizado, é descartado pelo cérebro. Não pense que isso é uma coisa ruim, a seleção das informações a serem retidas é quase que um mecanismo de defesa. Imagine se você fosse capaz de lembrar do que comeu no café da manhã de exatos 4 anos atrás? Tanta informação provavelmente o tornaria louco.

Como reter a informação importante?

Parece óbvio, se é importante para mim então meu cérebro vai manter a informação armazenada, na realidade não é bem assim que as coisas funcionam. Se você acabou de aprender uma palavra nova, essa informação vai para a chamada memória de trabalho, ela atua no momento em que a informação é adquirida, retém essa informação por alguns segundos e a destina para ser guardada por períodos mais longos ou a descarta. Se a informação é importante a ponto de você querer lembrar dela mais tarde e se você se esforçar para que isso aconteça, ela vai para a chamada memória de curto prazo.

Mas como reter o conhecimento?

A grande tacada está em tornar a memória de curto prazo em memória de longo prazo, ou seja, aquela que vai ficar guardada no cérebro permanentemente. A resposta a essa pergunta reside na palavra – repetição. Existem 2 formas de fazer isso, leia atentamente as 2 situações abaixo:

1 – Você acorda cedo e começa a estudar inglês. Como você está num dia inspirado e extremamente motivado, resolve passar a manhã inteira estudando avidamente. Você passa a matéria 1, 2 até 3 vezes. São 4 horas de estudo intenso e você pára na hora do almoço exausto mentalmente.

2 – Você acorda cedo e estuda por 30 minutos, mesmo empolgado você pára e vai realizar outras obrigações. Durante o período da tarde são mais 30 minutos de estudo, neste caso foram gastos 10 minutos revisando o que foi estudado durante a manhã. Antes de dormir você dedica mais 30 minutos, nos quais 20 foram utilizados revisando o que foi estudado durante o dia e os 10 restantes praticando com exercícios.

Em qual situação houve mais aprendizado?

Vou relatar aqui a minha experiência. Já tentei estudar das duas formas citadas anteriormente. No meu caso a Situação 2 mostrou-se muito mais efetiva. Apesar da diferença de tempo 01h30min da situação 2, contra 4 horas da Situação 1. Eu atribuo a maior efetividade a 2 fatores. O primeiro eu já citei, a repetição. O segundo diz respeito à distribuição de horários, não adianta passar horas estudando um só tema (seja ele idiomas ou qualquer outro), com o tempo o cérebro vai ficando cansado e não há retenção de conhecimento.

 

Anúncios
Categorias:Curiosities

Saudades ???

Vem de longa data a polêmica que gira em torno da palavra Saudade. Em inglês, o verbete citado anteriormente, pode ser entendido como miss (sentir falta) ou ainda homesick (sentir-se triste por estar longe de casa e da família). Provavelmente existem diversas outras traduções, mas nenhuma delas tem a capacidade de substituir a palavra saudade com a mesma carga semântica. Por isso, realmente não há um cognato perfeito. A saída, obviamente, é sempre usar o bom senso e buscar uma palavra com sentido aproximado para a situação.

De acordo com uma lista feita a partir da opinião de mais de 1000 tradutores profissionais, a palavra saudade, em português, é a 7ª palavra mais difícil de traduzir. A lista considera palavras de todos os idiomas.

Confira abaixo o ranking:

1. “Ilunga” (tshiluba) – uma pessoa que está disposta a perdoar quaisquer maus-tratos pela primeira vez, a tolerar o mesmo pela segunda vez, mas nunca pela terceira vez.

2. “Shlimazl” (ídiche) – uma pessoa cronicamente azarada.

3. “Radioukacz” (polonês) – pessoa que trabalhou como telegrafista para os movimentos de resistência o domínio soviético nos países da antiga Cortina de Ferro.

4. “Naa” (japonês) – palavra usada apenas em uma região do país para enfatizar declarações ou concordar com alguém.

5. “Altahmam” (árabe) – um tipo de tristeza profunda.

6. “Gezellig” (holandês) – aconchegante.

7. Saudade (português)

8. “Selathirupavar” (tâmil, língua falada no sul da Índia) – palavra usada para definir um certo tipo de ausência não-autorizada frente a deveres.

9. “Pochemuchka” (russo) – uma pessoa que faz perguntas demais.

10. “Klloshar” (albanês) – perdedor.

Categorias:Curiosities

Ensino de Língua Inglesa e Uso de Novas Tecnologias

 

DUPLA CERTIFICAÇÃO: Certificado de Pós-graduação lato sensu no Brasil e Certificado Internacional de Professor de língua inglesa da Bridge, reconhecido pela ACCET e pelo Ministério de Educação dos EUA. Com bolsa de trabalho no exterior.

A UGF conta com alguns dos melhores professores de língua inglesa. Curso único no Brasil!

Módulos:

Língua inglesa em nível avançado: Estudo da gramática inglesa em nível avançado e práticas do vocabulário escrito e falado no mundo anglo-saxão, pelos renomados professores John Whitlam e Stephan Hughes, para professores e profissionais da língua.

Formação de professores: Módulo em parceria com a Bridge (órgão que credencia professores de língua inglesa no mundo inteiro) que trabalha a didática e prepara o aluno para ensinar a língua inglesa em qualquer lugar do mundo. Inclui bolsa de trabalho em diversos países. Diploma reconhecido pela ACCET e pelo governo dos Estados Unidos.

Uso de novas tecnologias no ensino de língua: Módulo dedicado ao uso das novas plataformas de ensino de língua, às ferramentas de interação com o aluno, ao uso das redes de relacionamento, dos vídeos e animações em sala de aula. Em suma, tudo o que é preciso para entrar na nova era do ensino interativo.

As aulas ministradas na faculdade de São Paulo são transmitidas ao vivo pela internet, com imagem e som em tempo real. As mesmas vantagens da aula presencial: interação com os professores e os alunos durante as aulas, possibilidade de tirar as dúvidas ao vivo, com a vantagem de poder organizar seu horário de estudo, rever as aulas quantas vezes quiser, tirar as dúvidas pelo chat com o professor, interagir nos fóruns com os alunos (presenciais e EAD) e não ter de se deslocar até a universidade.
*Não há diferença entre os certificados dos cursos presenciais e à distância, conforme determina a legislação vigente.

Cidades e datas de início

Aulas à distância: Transmissão ao vivo pela internet das aulas ministradas na faculdade de São Paulo. Início: 02 e 03/04/2011 Horário: Sábado e domingo, das 8h às 18h, uma vez ao mês

Aulas presenciais:
Rio de Janeiro – UGF Unidade Candelária, início 26/03/2011. 2 sábados ao mês.

São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Horário: Sábado e domingo, das 8h às 18h, uma vez ao mês.

Mais informações sobre o curso no site http://www.ugfpos.com


Departamento de Língua e Tradução.
Tel. (21) 3442-0755/56
http://www.ugfpos.com

Categorias:Educação